segunda-feira, 20 de abril de 2015



 
   ( 04.09 2002 - quarta-feira) 10 dias sem fumar e sem beber

   ( na foto o caminhão da sorte da CEF que engana milhões de apostadores todos os dias)

   O frio esta de matar, o vapor que sai da minha boca parece fumaça de cigarro, fingo que estou fumando. Senti muitas dores nessa madrugada. Não entendo essa dor nos pulmões, depois que parei de fumar. Tem momentos que fico feliz e tenho ataques de riso por saber que estou vencendo. Não importa se estou nervoso, irritado, pobre e engordando. Meu estômago tem me dados dores e prisão de ventre.
   Se eu, um dos 6 bilhões de terráqueos primitivos , não entender o condicionamento do cérebro, com sua cobiça, inveja, egoísmo, vaidade, orgulho, medo...e purificá-lo, como poderei entender o amor? E sem amor, serei para todo o  sempre uma peça a mais na estrutura corrupta da sociedade.
   Todo alcoólatra passa a ter dois adversário, um é o círculo vicioso, do qual, sem ajuda para escapar, se sente impotente; o outro é a pressão inconsciente das pessoas que, fazendo o que podem para ajudar, atrapalham. Elas não entendem que, quanto mais se ajuda, mais o doente vai se sentir seguro para voltar a beber. O grande aliado dessa doença é o desconhecimento, que faz a maioria dos alcoólatras chegarem a estágios avançados da doença. O alcoólatra nega para si e para os outros  sua escravidão da bebida. Por isso os que o cercam de cuidados, facilitam a progressão da doença, Muitas vezes o levando a morte.
   Tive um grande amigo, o Marcos Prado, poeta, inteligente e sempre cheio de amigos pra lhe pagar bebida. Hoje ele está morto e tem gente que vai visitar o túmulo e deixa uma latinha de cerveja ou 51, dizendo que ele pode estar necessitando. Mataram ele na Terra e querem matá-lo mais uma vez lá no Céu!!! Ó, Terráqueos Primitivos, quantos milhares de anos nós vamos precisar ainda para aprender?

   ( 05.09.2002 - quinta-feira) 11 dias sem beber e sem fumar

   Acabo de comer 5 hot-dog, tive um dia corrido e agitado. Vim com mais de 30 k de compras, me arrastando pelas ruas e ônibus espremidos. comprei  vina, hamburger, calabresa, queijo, presunto, farofa, milho, ervilha, massa de tomate, mostarda, ketchup, maionese, batata palha, etc...Chegando em casa, ainda fui na padaria pegar os pães e depois buscar cerveja no Big. Ás 5h da tarde, estou com tudo pronto e vou buscar meu filho na escola. O tempo inteiro fumando bala para afastar, boxear, estourar,pisar, humilhar, exorcizar a coisa ruim do cigarro.  No quintal uivei e xinguei o cigarro e a bebida, com todas as forças do meu pulmão " Auuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu..."
   Os ovos da pata que estava choca desapareceram ou, melhor, só tem dois. Será que o rato grande comeu? Gamba? Justo agora que faltava tão pouco para os patinhos porem as patinhas de fora?
   O rapaz como o lanche e acende o cigarro, deixando no ar o mais delicioso dos cheiros. Olho pro meu copo de cigarro avulso, paquero, namoro, sonho. De repente, surge do nada um sentimento de bondade, delicadeza, de paixão...nada, sei que são só artifícios mentais e ilusórios pra me tentar. A fumacinha do inferno é muito esperta.
   Passa um bêbado agora, disfarçando ao máximo seu lastimável estado. Bêbados por mais que tentem, não conseguem despistar seu porre. A bebida sempre acarreta culpa e depressão, ainda mais se o cara deixa faltar as coisas pra família em casa. Muitos bebem e não compram um simples sorvete para o filho ou o sabonete DOVE para a mulher.E quando alguém o vê no bar, ele parece a pessoa mais boa e inteligente do mundo. O bêbado tem uma facilidade indescritível em mentir, em fazer inveja para pastores, padres, políticos e até ao Papa.
   É comum alguns pais ficarem mais tempo, trabalhando ou nos botecos, depois que nascem os filhos, por que será? Eles não tem paciência com as criancinhas e deixam tudo para as mães esta árdua e cansativa tarefa de criar os filhos? Ai daquele que fizer mal as criancinhas, porque é delas o Reino dos Céus! Jesus.
   Ser anônimo faz parte da humildade. E ser humilde é estar livre da ansiedade e do medo que o ontem e o amanhã criam. Não é andando de chinelo, nem morando em favelas ou usando batina, colar de pérolas ou decorando os livros sagrados que se é humilde. Pra ser humilde tem que primeiro entender o que não é humildade, sem máscaras,

     Sexta-feira 06.09.2002 ( 12 dias sem fumar e sem beber)

   Tive momento grande hoje, apesar do tempo ruim. Com o cheiro presente no ar e nos pulmões fecho as portas do bar, para ouvir minha voz. Estou sozinho, agora, e muito sensível, ouvindo o tec-tec  da minha máquina, o tic-tac do relógio e os pingos da chuva torrencial que cai neste momento.
   Seria lindo parar na porta, olhar a chuva, tomar uma cerveja, ascender um cigarro...é quase uma ereção mental. O cigarro é a droga mais difícil de se largar, mais que a bebida. Porque  pensamos que não faz mal à saúde e o associamos a todos os prazeres da vida. No sexo, então, nem se fala. Antes, quando eu descarregava os espermas da vida, sempre fumava após. E agora, como preencher esta lacuna, este relaxamento após o ato sexual? Entrar debaixo do chuveiro e demorar o máximo possível? Pode ser. O problema todo é que tenho de reaprender a viver, mudar alguns costumes e adquirir outros para minha nova vida. Renascer e morrer para as lembranças passadas. Afinal não se pode alimentar vida, das cinzas.
   O sono tem vindo com bastante frequência, com essa chuva e frio, só me resta ir pra cama, não sem antes beijar a paz de criança dormindo. Meu filho dormiu abraçado com o livro "Alice no País das Maravilhas"!
   Existirá a ilusão sempre que houver a ânsia de manter o prazer e evitar a dor. Mas os dois são inseparáveis e um contém o germe do sofrimento do outro.

domingo, 19 de abril de 2015




   03.09.2002 (terça-feira) 9 dias se fumar e sem beber
   na foto ( eu dando banho no meu filho Josemario, ele não consegue se lavar sozinho)

   Acordei de madrugada encharcado,com febre. Abstinência? Não sei. Sei que custei a dormir novamente...os pensamentos desordenados, o silêncio do quarto perturbado somente pela barulheira dos bares do outro lado da rua. A solidão invade o quarto, olho pro meu filho , na cama ao lado, e fico imaginando em que tipo de mundo ele vai viver. Por quantas dores, mágoas, tristeza e solidão ele vai ter que passar? Será que um dia ele vai entrar na minha loucura de pensar quem é que fez Deus e aquele que fez Deus? De onde surgiu o nada? De onde saiu a matéria? A energia? O amor? O ódio a ganância e orgulho besta? Como somos tão primitivos?
   A geada em pleno setembro cobriu de branco meu quintal. A água do cachorro estava coberta de gelo, no laguinho nenhum movimento que denunciasse a existência dos peixes, até os pássaros estavam mudos. Nenhum canto dos bem-te-vis, sábias, canários-terra, pintassilgos, pardais, coleirinhas, sapos e de outras centenas de vida que habitam o grande terreno junto comigo. Mais uma obturação caiu de tanto quebrar balas. Não posso ficar sem elas, me dá desespero, dedo de cair em tentação. Os crentes têm mania de, quando querem pecar, dizer que foi porque esqueceram o escudo ( a bíblia) em casa e por isso caíram em tentação, ou melhor, o diabo os atentou ou espíritos malignos, sabe lá Deus o que é isso. Os católicos não fogem à regra e, nos domingos, vão pedir perdão a Deus, para continuarem os mesmos "santinhos" o restante da semana. Todos falam da boca pra fora, falam em Deus, no Amor, em qualquer coisa que anestesie seus sofrimentos e infelicidade. Seria demais aos terráqueos primitivos entenderem que o Amor, Deus, o Desconhecido, não vive no padrão psicológico e condicionado da sociedade. É preciso não pertencer ao rebanho:- Meu reino não é deste mundo, de inveja, cobiça, egoísmo, orgulho e vaidade." Jesus já disse.
   É preciso tirar da mente, do coração, tudo que aprendemos e acumulamos a respeito de Deus, do Amor, e ficar só, sem defesa. Amor e Deus não são palavras. As pessoas manipulam as palavras para camuflar sua maldade e ganâncias. Agir por medo de punição ou recompensa, não faz parte do mundo de Deus...e, sim, ao dos terráqueos ainda primitivos com sua estrutura imoral, falsa e corrompida. Amor não se aprende, ninguém pode te ensinar a amar. Pode-se ler todos os livros sagrados, escritos pelo sofrimento e medo, mesmo assim a mente humana continuará ávida, invejosa e mesquinha. Em outras palavras, sem compreender o verdadeiro Deus o verdadeiro Amor! Minha loucura por uma cerveja, um cigarro...
   30 anos fumando, 1800 cigarros por mês, 21.600 cigarros por ano.Significa que em 30 anos eu fumei mais ou menos 648.000 cigarros, 32.400 carteiras de minister, continental, hollyoddy, luxor, LM, LS, charme, cartoon, plaza, derby,etc...até os falsificados do Paraguai e os filados. Em dinheiro atual sem os juros significa que queimei em dinheiro R$ 64.800,00 fora o gasto com remédios. Fiz, no mínimo, 648.000 movimentos mecânicos de acender o cigarro e gastei 648.000 palitos de fósforos, ou seja , 1296 caixas de fósforos com 50 palitos, que me custaram R$ 259,20 a R$0,20 a caixa. Imaginem quanto não gastei em bebidas, jogos, mulheres fáceis nestes 30 anos???Que loucura meu Deus!!!
   Minha última carteira f oi o Derby, até guardei a carteira vazia, com a última ponta de cigarro e palito. Quanto romantismo, lembrança, mas agora são meu amuleto, guardado em um quadro com a data que me libertei.
    É duro escutar o aqui, aqui, aqui, desta novela misturada com italiano de quinta categoria. É como ir no Big e fazer compras ouvindo aquela musiquinha do jingle deles:- " Na real o Big é mais barato". Me trinca os bagos. Enganam nos preços, no peso, na qualidade.Coitadas das nossas mães mais idosas que fazem compras sem conferir nada. Deveria ter um fiscal do PROCON em cada Super mercado. Imaginem as padarias, bares e mercearias, o que não fazem? Mas Deus cobra, o remorso cobra? Mandam um ladrão ( ladrão que rouba ladrão tem 100 anos de perdão0, manda um infarto, um câncer, uma perda, etc. Deus se vinga, cuidado!
   Quem garante que não serão vocês os próximos? Só não sejam hipócritas de irem na Igreja e dizer que são religiosos. O próprio Jesus disse:- " Quando orares, não faça como os hipócritas que rezam nas sinagogas (igrejas, templos) para serem vistos pelos homens. Mas entra no teu quarto e fecha a porta.Teu Pai, que se oculta em você, no teu coração, o escutará!" Ser religioso é fazer em todos os momentos da vida a vontade de Deus, que é ser bom e simples no trabalho, em casa, em qualquer lugar, e isto é extremamente difícil pros terráqueos primitivos!
   Puxa, o que é isso que estou escrevendo? O que a falta de bebida e cigarro faz? De onde vieram estas vozes? Seria de Francisco de Assis?
   A propaganda política inicia na TV, sempre a mesma coisa, até parece piada sem graça da Zorra Total. Diga sim, sim; não, não...pois tudo que passa disso é de procedência maligna. Alguns políticos, pastores, padres, humanos ou desumanos, parecem não entender essa parábola, também, se entendessem, como poderiam colocar em seus cofres mais do que eles podem guardar.

sábado, 18 de abril de 2015




   02.09.2002  ( segunda - feira ) 8 dias sem fumar e sem beber
   ( na foto eu, minha esposa, meu filho Josemario e minha filhinha Maria Angélica)

   Se já é difícil esquecer o cigarro com calor, imagine com 2 graus, como estava hoje as 7:00h. O frio endurece meus dedos, vou a padaria rapidinho, compro a Tribuna do Paraná e cigarro,
CIGARRO, mas não pra mim, mas pra deixar no copo dos cigarros avulsos que acabaram ontem. O fato de, às vezes, precisar comprar cigarro, faz alguns duvidarem que eu parei de fumar. Como ele vai pensar que é pra vender no bar. Pior, que espalham que te viram com o cigarro e pensam que esta fumando escondido. Muitos até torcem, para que a pessoa não largue do vício. Entendem o que eu digo. É o mesmo que o alcoólatra estar no bar, sem beber. As pessoas não acreditam que o alcoólatra pode frequentar o bar e tomar um leite, café ou refrigerante,etc...Como é maliciosa e perversa a índole das pessoas que se alimentam do fracasso humano. São as mesmas pessoas que no domingo vão a Igreja, pensando que isto é ter fé e ser religioso.
   Não vejo a hora de entrar debaixo das cobertas com este frio, contar uma historinha pro meu filho, que me espera com tanta ansiedade eu fechar o bar. Puxa 8 dias, os últimos clientes saíram, o bar ficou solitário, mas o cheiro de cigarro  reinava no ar. Que posso fazer, proibir de fumarem aqui? Terei de aprender a viver assim, da mesma maneira que encontramos sempre um casebre farto de crianças famintas ou uma mansão com cães guardas bem alimentados.
   Quando deixei meu filho na escola hoje, meu lado fera aflorou, fui uivar no quintal e xingar a bebida e o cigarro de todos os nomes. Amém. sozinho com meus patos, cachorro, peixes e os fantasmas do dia a dia esgotei minhas energias. De repente, o próprio silencio se estendeu sobre minha voz. Vulnerável, caí em prantos. Não sei por que. Quando deixo meu filho Josemario na escola, sempre tenho a sensação de que é o seu primeiro dia de aula.
   Depois das torturas mentais, tomo um banho, e as balas não param na minha boca: morango, banana, hortelã, dadinho, doce de amendoim, café com leite, enfim, me apego em tudo que posso para não sentir a tentação de uma tragadinha, que seria fatal como o primeiro gole de um ex-alcoólatra.
   Quantos quilos engordei? Se continuar comendo doce assim arrumo uma diabetes. Bom, mas não vou me preocupar com isso agora. Em primeiro lugar está a luta ETERNA contra meus vícios, depois combato essa ânsia, compulsão a comer e chupar bala o tempo todo.
   Nesse momento passam três cavalos em plena av..Paraná, montados por três rapazes de chapéu pela canaleta do ônibus expresso, pensando que estão esnobando e abafando. O cavalo pra eles é mais importante que o cavaleiro. Continuo fumando uma bala depois da outra. Eles entram no meu bar, com ar de superioridade, pensam que podem montar em cima de mim, como nos cavalos. Ao quererem ser mais, caem do cavalo? Impossível neste momento qualquer explicação que não seja provocada pela falta de nicotina no cérebro, coração, corpo e alma, os pensamentos da tanta fumaça criaram chuva e lavaram minha alma com cerveja. Não sei porque me senti mal com os cavalos na frente do bar e os cavaleiros, mas me deram um lucrosinho no fechar das portas.
           
      01.09.2002 ( domingo) 7 dias sem fumar e sem beber
      ( na foto eu carregando a faixa na abertura do FERA " Festival de Arte da Rede Estudantil!)

   Levanto, trato os bichos e retorno pra cama, o tempo frio está propício para isso. O cigarro era um cobertor pra mim. Agora, em abstinência, sofro e o meu corpo parece sem forças. Ontem, ao voltar da farsa dos sorteios, atendi mais de 50 pessoas, nem sei quantas baforadas levei na cara. Tive que ter paciência de budista pra não dar um pontapé na bunda de cada cliente que entrava aqui fumando. Uivei várias vezes.
   Todo dia colo na parede do bar uma frase e quantos dias já estou sem fumar, para preparar o espírito do cliente, caso ele me ache de cara amarrada e mal educado. Pois, sinceramente não tenho tido nem vontade de conversar ou ouvir piadinhas. Acho que nem escuto mais nada que não seja só o que a pessoa quer comer ou beber. Tenho devorado balas, a ponto de, ontem, por estar sem bala, descer do ônibus completamente desesperado, correndo atrás da primeira banca que vi. Comprei muitas balas, variadas, mas minha vontade era comprar um derby, tomar uma cerveja e fumar 1,2, 3...e quantos fossem necessários pra sair do desespero psicológico. Obrigado, Deus, por mais um dia vivo, sem beber e sem fumar.


    31.08.2002 ( sábado) 6 dias sem fumar e sem beber

   ( na foto eu e meu irmão Tadeu - Grande escritor, publicitário, professor e poeta)  

   Como sempre levanto pensando no cigarro, é tanta vontade que volto a dormir mais um pouco, enquanto meu filho não acorda. Depois, vou visitar minha mãe e fazer compras. Brinco bastante com meu filho, apesar do peso cerebral da falta de nicotina e da bebida. Resolvo não abrir o bar no horário costumeiro, pois quero testemunhar os sorteios do caminhão " preparado" da sorte, que vai ser realizado no pátio do Big. Saio de lá totalmente decepcionado. Foi duro ver aquela vergonha ao vivo, olhar para todas aquelas pessoas se imaginando milionárias, todas pensando que seriam acertadoras. Como é fácil manipular, enganar, roubar os terráqueos primitivos. Pelas vozes que ouço, dentro dos meus delírios, eu afirmo: - O CAMINHÃO DA SORTE DA CEF É UMA MÁQUINA DE FABRICAR RESULTADOS. Muita gente já deve ter visto como é o sorteio da tele-sena do Silvio Santos. Em um único globo gigante são colocadas todas as dezenas juntas, roda e a bola pára no buraco e a moça tira então a sorteada. Este é o modo correto. Nas loterias da Caixa são vários globos girando automaticamente que ficam em cima de uma espécie de balcão. Você não vê o que tem embaixo daquele balcão, mas tem uma puta fiação e mecanismos, ao lado, fica uma pessoa num painel cheio de botões que controla tudo. Eles mandam uma pessoa qualquer no meio do público apertar um botão numa espécie de controle remoto, tentando induzir as pessoas a pensar que, ao toque dela,  sai a bolinha sorteada. Mentira, as bolinhas são já preparadas pela pessoa que controla o painel. Estou falando um FATO. E eles fazem todo aquele carnaval, moças bonitas na frente, brindes da Caixa para o público, fiscais leigos que escolhem no meio do público, um espetáculo. Duro foi o que vi, no momento de sortear o prêmio da Mega-Sena acumulada foi pior ainda. Eles retiraram a caixa de bolinhas e foram buscar outra. Quando eu perguntei porque estavam trocando as bolas, o cara tremeu. Você está duvidando? Quer pesar as bolinhas? - ele perguntou.Daí foi lá, levou as bolinhas trocadas e disse que trouxe as que tinham sido usadas anteriormente. Coisa que ninguém viu. Eu falei que ñão estava no peso das bolinhas as falcatrua e, sim, em algum mecanismo secreto, tipo código de barras, que aquela parafernália de equipamentos controla.
   Se vocês não acreditam em mim, perguntem parra as centenas de pessoas que lá estavam. E teve mais. Eu pedi uma daquelas bolinhas do globo e não quiseram dar, alegando que era propriedade da caixa. Os seguranças já me olhando torto , evitei mais confusão, fiquei em silêncio um tempo e fui embora. Tirei fotos do caminhão e seu painel manipulador como lembrança do dia que perdi todas as dúvidas de que os sorteios são direcionados.  Mas nem precisaria disto, basta ver os números sorteados, a coincidência das dezenas, pra quem faz um estudo, como eu faço, de todos os resultados, o que nas loterias da caixa é rotina, na verdade a probabilidade de alguns é acontecerem uma vez a cada um bilhão de anos. No final deste livro, haverá um pequeno apêndice onde vou mostrar uma relação de resultados impossíveis. Vocês poderão dizer, que eu sofro de esquizofrenia catatônica, retardamento mental, que sou o "louco" das historinhas do Mauricio de Souza, mas o que estou escrevendo é fato, é uma vergonha nacional que engana todos os dias milhões de apostadores, mas um dia as "bolinhas" cai, e vai levar muita gente poderosa e respeitada para o xilindró, o que é extremamente difícil neste Brasil com tanta corrupção política. Eu só confio no jogo de bicho, na lotogol, na loteca e na tele -sena. Como escrevi, serei mais claro no final deste livro.
 

   30.08.2002 (sexta-feira) 5 dias sem fumar e sem beber

   Acordei às 10:00h com o chamado do meu filho Josemario. Incrível, meu corpo inteiro tremia. Pus café dentro do bule e açúcar dentro do coador, esqueci a boca acesa do fogão de onde tirei a água quente do café. Me sinto todo errado.
   Mais tarde, levei meu filho pra escola, voltei, passei no Big, voltei pra casa e pensei em deitar até umas 17:00hs, mas resolvi ir limpar o bar, afinal sexta-feira o movimento é grande. Sentimentos de tristeza e inferioridade se apossaram do meu espírito. Lembranças de um passado negro, cheio de incômodos pra minha família. Lembrei da ruindade e do medo que tinha do meu pai, que quebrava pratos nas paredes durante minha infância, da minha mãe som seus ataques terríveis , se jogando no chão, berrando gritos agudos e fortes que traumatizaram a família toda, do meu tio e tia alcoólatras que moraram um tempo em nossa casa. Eu tremia quando eles chegavam, cansei de me esconder debaixo da cama, no porão da casa, morria de medo deles, porém mais do meu tio, que era extremamente violento. Muito criança, eu não podia entender porque moravam lá em casa.
   Domingo, que deveria ser um dia feliz, dava sempre briga. Minha avó, muito brava, ia com meu vô, que era doce e bom, comer lá em casa. Dia de macarronada, maionese e franco ao molho e até Coca-Cola às vezes. Minha mãe colocava os melhores pratos, tudo lindo, tudo enfeitado, até som de vitrola com Júlio Iglesias e Roberto Carlos. Todos ansiosos e famintos, prontos para degustar a deliciosa comida dominical. Mas os adultos pareciam estar sempre na defensiva, bastava uma ou duas palavras mal interpretadas e o estopim estava aceso. Baixaria, ataques pessoais, prato na parede e os berros agudos da mãe que sempre caia desmaiada. A comida já não descia mais, ficava só a tristeza, o choro e o cheiro de camomila feito para acalmar o que poderia ser evitado, se os adultos não tivessem tanta mágoa em seus sagrados corações. Lá se ia outra semana e chegava  outro domingo, novinho em folha. Minha mãe, recuperada, degolava cedinho duas galinhas, repetindo o ritual da semana anterior. Daí, antes das refeições minha avó orava, era o sinal, o espetáculo estava pra começar. E foram tantos e tantos domingos  de dor e tristeza lá em casa, que eu criei ódio do domingo até não sei que idade da minha tumultuada infância.
   Deus, tire de mim esses pensamentos. É só mais uma armadilha, para eu perder as forças e voltar a fumar e beber. Mas estou preparado e contra estas lembranças mando bala e água com alho. Brinco com meu filho e o amor por ele me dá forças contra meu inimigo mortal, traiçoeiro, manipulador, tridente do inferno, cigarro do diabo, chupeta do inferno.
   Minhas patas estão para ganhar filhotes, as tilápias do tanque estão grandes, os lambaris só vejo mais ao anoitecer,  pulando à cata dos insetos. É um verdadeiro calmante ver os peixes e os patos nadar...
   Criei um cacoete de colocar a mão no bolso, pensando que vou tirar um cigarro. Hoje, tive vários ataques de uivos, falei sozinho, imaginei minha vida sem vícios. Essa agonia vai ter que acabar.Mas quando? Quanto tempo terei de sofrer, de me esconder da vida, do cigarro e da bebida?
   Hoje é aniversário da minha irmã, ela e seu marido nos ajudam muito. Oxalá Deus lhe dê muita saúde, paz e luz!!! Ela se preocupa muito com nossa mão doente e sofrida. Cuida dela praticamente sozinha ou pelo menos mais do que todos os outros 8 irmãos(as) juntos.
   O vício geralmente é mais forte que o  amor, impede de ver a realidade. Todo e qualquer vício é extremamente prejudicial à saúde e ao coração. A mãe fez de tudo pela gente, ia a pé para o trabalho por não ter nem dinheiro do ônibus, comia só depois de ver os 9 filhos fartos, se sobrasse alguma coisa, coitada. Pra aguentar a brabeza do meu pai, educar 9 filhos e ainda trabalhar, só podia mesmo cair no chão e gritar, e gritar, e gritar...e os filhos crescendo, sofrendo, crescendo, sofrendo e aprendendo que o mundo não seria fácil. Oh, Deus, por que pensar nestas coisas agora? Qualquer pessoa que vive na estrutura emocional da sociedade sofre, a quem culpar, Deus?

   29.08.2002 ( quinta-feira)
   4 dias sem fumar e sem beber


      Ontem quando parei de escrever, atendi ainda a várias pessoas. Não vendo só hot-dog, tem x-salada, refrigerantes, balas, doces, cerveja  em lata, etc...Quando entra todo mundo junto, a agitação aumenta e com isso a vontade de fumar triplica de tamanho, a ponto de me fazer queimar o x-salada mais de uma vez ou deixar estourar as vinas no molho. É duro fazer vários lanches, dar troco, servir, limpar...e sentir o cheiro do cigarro impregnando o ambiente. Meu cérebro doente, parece parar de funcionar.
   Passo outra noite mal dormida, com dores, pesadelos, suores, medo, vou várias vezes ao banheiro, penso que estou tomando água demais, chupando bala demais, comendo demais, só dormindo de menos.
   Ao acordar tomo 4 xícaras de café com leite e cinco pãezinhos, devo engordar muito neste período, ontem comi 4 hot-dogs antes de fechar, carregado de milho, ervilha, batata-palha, maionese e ketchup com 2 vinas cada.Imagino que a gula será a causa de todos os meus pecados daqui pra frente.
   Como é duro, meu Deus, ver este tempo nublado, levantar da cama e saber que não posso fumar. O dia começa triste, nada tem sentido, somente o olhar e o sorriso do meu filho me fazem acreditar que vale a pena. Faço tudo que tem que fazer, trato os bichos do quintal e vou ao Big fazer compras. Sou pobre, compro sempre em pequenas quantidades, por isso é comum eu entrar no mercado quase todos os dias. Hoje, o Caminhão da Sorte da Caixa Ecônomica FEderal ou melhor, o caminhão das bolinhas viciadas da Caixa estavam no estacionamento do Big para realizar os sorteios desta semana. Os terráqueos primitivos acham que as loterias da Caixa são honestas, quanta ingenuidade, quanta besteira desses terráqueos, eu, mesmo com todos meus delíros mentais, tenho certeza da manipulação dos resultados. Mas não posso fazer nada, ainda, para alterar o egoísmo, a ambição e a burrice desses terráqueos primitivos, que insistem em jogar, sabendo que vão perder. Enquanto escrevo estas linhas, o rapaz, na mesinha da frente, bebe uma cerveja e fuma tranquilamente. Não é preciso dizer que todas minhas células nervosas entram em pânico. Como doces e mando bala...na boca. Vou à cozinha e dou  vários uivos, pra tentar em vão, resistir ao cheiro delicioso do cigarro que paira no ar. Ai de mim, Deus; ai de mim Jesus; ai de mim, Buda; ai de mim, Krishnamurti; ai de mim, meu filho amado! Tenho que ser mais forte, eu prometi isso a vocês e a mim, e vou cumprir, mesmo que tenha que ouvir ranger de dentes. Passaram-se 4 dias e 4 noites só e me parecem uma eternidade. No passado, quando fui operado de apendicite, fiquei mais de 100 dias sem fumar e sem beber. Quando achei que já estava bom e bem cicatrizado, inventei de beber e, bêbado, acendi o cigarro. Não parei mais, como se quisesse me vingar de todos os dias que fiquei sem satisfazer o vício. Imaginei que no dia seguinte  poderia parar de novo, mas, com remorso e de ressaca, fumei novamente, escondido da família por um bom tempo, pra que não soubessem da minha covardia e do meu fracasso, e as promessas desapareceram como a fumaça do cigarro, tudo cinzas, nada realizado, apenas o enorme sentimento de frustração de um pai que , na época, desempregado, caiu em tentação, enganado pelos pensamentos cata tônicos.
   Por isso tenho medo do fator tempo como meio para parar de fumar, é muito ilusório, a ansiedade pode passar anos camuflada, não sei. Conheço pessoas que ficaram anos sem fumar, beber e, de repente, sem saberem explicar, voltam ao vício e, o que é pior, dobrado. Eu mesmo já tentei de várias vezes e bolei vários truques para parar. Fiz terapia, raio-lazer, adesivos,goma de mascar de nicotina, volta na cadeira, despacho com galinha preta, uivei pra lua, fumei só em horas impares, diminuí o número de tragadas, enfim, mil e uma tentativas, que quase me viraram do avesso e não consegui. Por que então, justo agora, vou conseguir? Quem garante? O 13? Deus? Como vencerei os demônios da bebida e do cigarro? Como exorcizá-los? Que armas, que cruz, que estaca terei de enterrar no meu cérebro doente e viciado? Como farei pra que o cérebro viciado vença a si mesmo? Estão entendendo o drama dessas perguntas, terraqueos primitivos? Serei mais simples: - Como pode, meu cérebro viciado, que fumou durante 30 anos ou mais, consumindo 650.000 cigarros aproximadamente, que cagava fumando, sorria fumando, chorava fumando, que viveu, sofreu e amou fumando. O que pode fazer este cérebro doente apaixonado pelo cigarro e bebida, que tinha enorme prazer e ainda tem, para querer de verdade parar de fumar e beber para sempre? Como ele vai nocautear a si mesmo? Que loucura, os cigarros avulsos me olham como se entendessem meu pânico, medo e insegurança, momento a momento. Deus, vou dormir, não me abandone, pelo amor de Deus!